Xampu sem sal - Mitos e verdades sobre os produtos livres de cloreto de sódio

Os xampus sem sal viraram moda. Os cabeleireiros recomendam, principalmente para os fios danificados por processos químicos ou colorações, com a justificativa de que são menos agressivos. Esse tipo de produto deixou de ser vendido apenas em salões de beleza e ganhou as prateleiras das lojas de cosméticos e até dos supermercados. Realmente funciona?




De um lado, cabeleireiros acreditam que sim, ajuda a manter a saúde dos fios. De outro, farmacêuticos afirmam que o que importa mesmo é a acidez (pH) e não a salinidade. Descubra o que é fato e o que é boato nessa história.

Afinal, para que serve o sal no xampu?
Antes de descobrirmos quais os benefícios do xampu sal, precisamos conhecer o outro lado. Conforme explica Evelin Egedy, engenheira química responsável pelo controle de qualidade Schraiber, a função do sal (cloreto de sódio) é fazer espuma e encorpar o produto. Também é usado para tirar os resíduos que os outros componentes não conseguem.


O produto com sal é prejudicial?
De acordo com Evelin, o sal pode causar ressecamento do couro cabeludo e dos cabelos. Por esse motivo, xampus com a substância são indicados para cabelos oleosos. Em cabelos coloridos, pode acarretar em desbotamento. A engenheira química revela que nas concentrações usadas o cloreto de sódio não causa danos aos fios.


Para Flávia Glasser, gerente de Produto Hair Care da L'Oréal, a má fama do sal não se comprova cientificamente. Ela explica: "Os sais provocam a formação de uma espuma mais viscosa, enquanto o agente de limpeza é o lauril sulfato de sódio. Nenhum malefício está comprovado, já que os sais utilizados são usados em quantidades pequenas e se diluem em água, o que significa que são facilmente eliminados durante o processo de enxágue, não interferindo nos fios".

Segundo a executiva, um estudo independente desenvolvido pela Universidade de São Paulo, o Instituto Schulman de Investigação Científica, a Universidade Anhembi Morumbi e a International Specialty Products conclui que não existem diferenças relevantes ao comparar a performance de xampus com cloreto de sódio e aqueles que não possuem esse ingrediente em sua fórmula.

Água do mar é diferente de xampu
Verão chegando, a reclamação é comum: ao tomarem banho de mar, as pessoas associam a sensação de "ressecamento" dos cabelos à ação da água salgada. Mas não deve haver comparação com o efeito dos xampus, já que as concentrações de cloreto de sódio no mar são muito maiores. Além disso, a água da praia contém outras substâncias que vão provocar embaraço e ressecamento, sem falar nas agressões provocadas pela exposição ao sol, ao vento e à areia.

Existe xampu livre de sal?
Depende do sal. Se for o cloreto de sódio, a resposta é sim. Mas a farmacêutica responsável pela Biotropic Cosmética, Liliany Jann Zampiroli, esclarece que xampu com zero sal não existe: "O conceito trata necessariamente da ausência do cloreto de sódio na composição. Podemos sim fabricar produtos sem esse sal, mas para isso é preciso trabalhar com outro tipo de agente espessante".


Rafaela Gomes, gerente de Marketing de Produtos, e Adelaide Botelho, coordenadora de Pesquisa e Desenvolvimento, ambas da rede Beleza Natural reforçam que o cloreto de sódio vem sendo substituído por espessantes que agregam outros benefícios aos produtos e não apenas o incremento da viscosidade. A cabeleireira e diretora técnica da Mac Paul Cosméticos, Rosana Leite, ratifica que o "sem sal" que encontramos nas embalagens refere-se apenas ao cloreto de sódio, o sal de cozinha que todos conhecemos.


Especialistas da Natura são enfáticos: todo xampu tem sal. A empresa, claro, não foge à regra: seus produtos contêm o cloreto de sódio, porém em concentrações muito baixas, somente para conferir a consistência ideal. Marcos Coraza, do Gilberto Cabeleireiros, complementa: "O principal ingrediente de um xampu são os tensoativos, sendo os mais comuns o lauril sulfato de sódio ou o lauril éter sulfato de sódio. Na produção desses elementos acontece uma reação química cujo produto secundário é o cloreto de sódio".

Coraza complementa: "Mesmo que o fabricante, a princípio, não utilize o cloreto, quando se lança mão de qualquer tensoativo cujo nome termina em ‘de sódio', acaba-se gerando o sal no produto. Além disto, a própria betaína, utilizada como agente de espessamento, contém sal em sua composição."

A ausência de sal é benéfica?
A maioria dos cabeleireiros concorda: os xampus ditos sem sal geram mais benefícios aos fios. A engenheira química, Evelin, reforça a tese: "Os xampus sem sal limpam, mas com menos intensidade e agressão. Já os xampus antirresíduos têm uma quantidade muito grande de sal, não se deve abusar deles, pois com o tempo retiram todas as vitaminas do cabelo", esclarece.

Além disso, os produtos livres do cloreto de sódio evitam que a cor desbote. "Mas é recomendável usar pelo menos uma vez por semana o xampu com sal para que o cabelo não acumule as sujeiras do dia a dia e, com o tempo, fique com aspecto de sujo", diz a especialista.

E há quem duvide dos benefícios, claro. O hair stylist, Sylvio Rezende, de São Paulo, critica: "A mídia massacrante criou uma imagem negativa em cima do sal, mas ele não é o grande vilão nem é o responsável pelos danos e ressecamentos. Se fosse assim, os cabelos das caiçaras não seriam tão bonitos".

Fato é que a propaganda massiva gera uma movimentação no mercado. Pelo menos é o que pensa Rafaela Gomes, executiva do Beleza Natural: "Em virtude do grande número de pessoas que se submetem a tratamentos que indicam o xampu sem sal para sua manutenção, o mercado acabou aderindo à moda e buscando opções de emulsionantes que não fossem à base de sal e que trouxessem benefícios aos fios."

O que importa é o pH
Fernando Werneck, hair stylist do salão Corte & Estilo, de Vila Velha (ES), diz que o se deve levar em conta, ao escolher o produto, é o pH. Por isso olhar o rótulo é fundamental. "Os muito alcalinos, com pH maior que 7, abrem a cutícula do cabelo deixando os fios frisados e ressecados. Quanto mais baixo o pH (contendo sal ou não), ou seja, mais ácido, melhor para o fio, pois assim as cutículas permanecem fechadas. O pH ideal deve ficar entre 4,5 e 5,5", recomenda Fernando.

Edu Levy, do salão paulistano Saluvyté, ensina: os xampus devem suprir as necessidades dos seus fios. "Se o seu cabelo é natural mas está ressecado, não adianta usar o xampu super hidratante para cabelos alisado que sua amiga usa. Não terá resultado porque as necessidades são diferentes", sentencia o profissional, que recomenda as linhas profissionais.

Seja com ou sem sal, as especialistas do Beleza Natural alertam: não esqueça do condicionador, que selará as cutículas e facilitará o penteado, evitando que os fios se partam. Também é importante hidratar os cabelos duas vezes por semana, para se ter um fio mais bonito, macio e saudável.


Rosana Leite, da Mac Paul Cosméticos, lembra que o mercado possui marcas consagradíssimas de produtos sem sal, com resultados eficientes, para todos os gostos e bolsos. "O mais importante, ao escolher, é atentar para o ativo de tratamento, o tipo específico para a necessidade de cada um, além do pH, claro", pontua, indicando xampu e condicionador DNA Vegetal com alta concentração de ativos da Mac Paul, ideais para cabelos ressecados ou danificados por processos químicos.

Voltar para: Home - CABELO & CIA

Nenhum comentário:

Leia mais sobre: